BOMBA! BOMBA! Canal Comunicação quer a cassação dos mandatos dos vereadores que a denunciaram por direcionamentos em licitações!!!

Share:


Foto: Sidney Rodrigues

O advogado Daniel Endrigo Almeida Macedo, da empresa Canal Comunicações, entrou com um pedido de cassação dos sete vereadores de oposição, o pedido de cassação teve como fundamentação jurídica o decreto 201/1967 do tempo do governo militar Costa e Silva, a informação foi dada na Tribuna da Câmara Municipal na terça-feira (12), pelo Vereador Carlos Hermes. 

Para o vereador, o advogado é desconhecedor de leis, pois quebra de mandato parlamentar só existe de vereador para vereador e que o regime militar acabou, além disso o que transparece é um temor da denúncia e a intenção é causar medo nos vereadores Bebé, Aurélio, Adelino, Ricardo Seidel, Pedro Gomes, Ditola e no próprio Carlos Hermes. 

Informou que a denúncia foi protocolada no Tribunal de Contas e na Procuradoria Geral do Estado, além do Ministério público e isso está incomodando, pois eles já receberam as notificações dos órgãos com a peça fundamentada e o advogado responsável pela empresa respondeu com extremo rancor, ódio e medo.

“Aqui denunciamos o grupo CANAL de comunicação e seus proprietários junto com o prefeito e seu secretário de comunicação Sérgio Macedo, além de todos os envolvidos em mais de 8 milhões e 800 mil em contratos. Cifras milionárias desde 2017 com grandes indícios de direcionamentos de licitações para o Sr. Chafi Braide e seus sócios. Empresas de uma mesma família que ganharam o processo licitatório sem concorrência e agora segundo eles e o seu advogado, os vereadores devem ser cassados por cumprirem seu papel, voltamos novamente para a ditadura”.

O vereador informou que foi pedida a suspensão do contrato que já foi assinado dia 30 de outubro e o aditamento imediato, pois nenhuma outra empresa ganha a licitação a não ser a citada. 

Já foram denunciados em 2014, quando prestavam serviço ao governo estadual e a então governadora era Roseana Sarney. A empresa é diretamente ligada ao secretário de comunicação do município e esta mesma foi responsável pela doação de 60% do valor total da campanha do atual prefeito Assis Ramos e agora é beneficiada com quase 9 milhões. “Mostra claramente a formação de um grupo dentro da prefeitura, mas quem tem que dizer isso é a justiça, o Tribunal de contas, a procuradoria e o Ministério público”.

“Fica feio para um advogado fazer um pedido desses. Acreditam que estamos ainda na era Sarneyzista. Aqui vocês não mandam mais, aqui quem manda é a democracia”, finalizou.

*Com informações da Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Imperatriz

Nenhum comentário