DENÚNCIA: Condenado por comandar esquema de favorecimento na Saúde em Araguaína (TO) quer assumir a Direção Geral do Socorrão de Imperatriz

Share:



O conhecido formulador da chamada “educação libertária”, Paulo Freire certa vez, ao enfrentar as promessas políticas nunca cumpridas pelos políticos brasileiros, disse, textualmente, que seria “fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, de tal forma que, num dado momento, a tua fala seja a tua prática”.


Tal pensamento se encaixa como uma luva para o atual prefeito, Francisco de Assis Ramos, que, em campanha, pregando a “ética na administração pública”, disse, dentre muitas promessas, que não praticaria o nepotismo, inclusive na forma “cruzada”, e nem tampouco empregaria pessoas com vida pregressa duvidosa, envolvidas com corrupção ou coisa do gênero.


Diferentemente da proposta do pensador Paulo Freire, Assis Ramos vem, a cada dia, aumentando a distância entre o que havia prometido na campanha e o que está fazendo, na prática, como prefeito de Imperatriz.


Não bastassem os casos concretos de nepotismo, com o empreguismo indiscriminado da parentada de secretários e gente do alto escalão do governo municipal, o Delegado-Prefeito quer nomear para a Direção Geral do Hospital Municipal de Imperatriz, Socorrão, o réu Alberto Gomes da Silva, já condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Tocantins, nos autos da ação de investigação judicial, ora proposta pelo Ministério Público, com base nos arts. 73, I e IV, da Lei nº 9.504/97 e 22, XVI, da LC nº 64/90, por favorecimento ilegal de atendimento de saúde, para fins eleitoreiros, quando foi Diretor do Hospital Geral de Araguaina, tudo para beneficiar a sua própria mãe, a vereadora Terezinha Gomes da Silva, mais conhecida por “Terezona”.


A condenação do novo "Diretor Geral do Socorrão", Alberto Gomes da Silva, foi mantida pelo TRE-TO, transitada em julgado justamente porque o Recurso Especial interposto pelo réu teve seguimento negado pelo Tribunal Superior Eleitoral, Alberto foi condenado a 6 anos de prisão.


Alberto é uma indicação do seu amigo do peito, o Prefeito de Praia Norte do Tocantins, Ho-Che-Min. O que ninguém entendeu até agora, como é que um prefeito de uma currutela nos cafundós do Judas quer mandar na saúde do município, que influência é essa Assis?


Os profissionais da saúde querem saber como é que o "prefeito honesto" vai fazer para nomear o seu apaniguado como Diretor Geral do Socorrão, já que existe uma Lei que regulamenta quem pode assumir tal cargo, somente os profissionais da saúde podem assumir, Alberto é Administrador. A não ser logicamente, que ele assuma a Direção Administrativa e passe mandar em tudo, colocando assim a Diretora Geral Mariana Jales como uma especie de Rainha da Inglaterra.


Cadê o discurso, doutor Assis?

Um comentário:

  1. Agora lascou de vez. Porque esse ho-che-mim que é filho de Raimundo Cabeludo foi diretor do Hospital Regional de Augustinopolis e foi afastado do cargo por vários crimes lá cometidos. Entre eles, o mesmo de Alberto, levando pessoas de Praia Norte para fazer cirurgias eletivas e deixando as urgências sem materiais para fazer. Foi denunciado e afastado. Só retornou por força Política de seu pai. E agora a empresa dele e do irmão é responsável pelas finanças do HMI e HII.
    Prefeito honesto está metendo os pés pelas mãos.
    Só tá fazendo, o amigo do meu amigo por ser Secretário.

    ResponderExcluir