Matadouro de Imperatriz, uma mina de ouro dos prefeitos!

Share:


O Matadouro publico de Imperatriz, no inicio do Governo Madeira, era uma verdadeira esculhambação, mas a bagunça era proposital, quanto mais bagunçado, menos se prestava conta do dinheiro publico. Todo o abate era pago em dinheiro nas mãos do diretor, o Marchante ia até o banco e recolhia o imposto do governo do estado, mas o valor do abate era pago em dinheiro, o município também recebia pelo abate dos suínos (um amigo dizia que era porquinos) e dos caprinos. O diretor é quem dizia o quanto foi abatido, sua palavra era absoluta, ele dizia a quantidade de abates, se ele dissesse que foi 50 bovinos, era isso e pronto, um verdadeiro roubo foi praticado, o sub produto dos bovinos e suínos, ninguém nunca soube pra onde ia. O Matadouro era tão disputado, que apesar de fazer parte da secretaria de agricultura, ele sempre foi administrado por outro secretario. Um certo administrador que antes faturava em sua empresa mais de R$ 200 mil reais por mês, ficou satisfeito com a nomeação no Matadouro com um salário de R$ 2 mil reais por mês. E hoje, como esta funcionando o Matadouro no Governo Assis Ramos, todo o abate esta sendo recolhido nos bancos, ou ainda ta sendo pago em dinheiro nas mãos dos administradores? A venda do sub produto, o dinheiro ta entrando nas contas da prefeitura ou ninguém sabe pra onde ta indo? O Matadouro é administrado pela secretaria de agricultura, ou já foi passado pra algum apaniguado? Os vereadores e o ministério publico tem que acompanhar de perto o funcionamento do Matadouro.

Nenhum comentário