Ordem de ‘Sadrak’ de dentro de Pedrinhas para iniciar ataques aponta para falha da Sejap

Share:
Deu no Atual7

Onibus fogo sao luis 1

Partiu do presidiário Eliakim Dávila Machado, preso do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, a ordem para que criminosos iniciassem a serie de incêndios aos ônibus na região metropolitana de São Luís, na noite de quinta-feira 19. ‘Sadrak’, como é mais conhecido, é líder da facção criminosa Bonde dos 40, e utilizou um aparelho celular para enviar uma gravação com o que os criminosos chamam de ‘salve’, que é a ordem para iniciar os ataques. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Maranhão, inclusive, já negocia com ‘Sadrak’ para que ele faça uma nova gravação, retirando o ‘salve’.

“Boa noite meus irmão da família 40! Tá dado aí um salve geral aí pra tá agarrando os ônibus, de preferencia no ponto final, pois não tem ninguém dentro, tá tocando fogo nos ônibus. Mas é pra pegar fogo todinho mesmo os ônibus. Forma de protesto contra a opressão que estamos sofrendo no sistema penitenciário”, convoca.

Num dos trechos do áudio, o líder da facção chega a dizer que no bairro do Maiobão, em Paço do Lumiar, um ônibus já teria sido alvo dos bandidos, e que na BR o ataque ainda iria acontecer – o que aponta para uma falha grave da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Sejap), já que o detento não só ordenou a ação de dentro de Pedrinhas, como ainda a coordenou, com um aparelho celular.

“Maiobão já está pegando fogo. Aqui na BR já vai tá pegando fogo. E vamos tá aí representando aí, meus irmãos. Quem puder tá fortalecendo aí, chegando nas quebradas, passando a visão. Essa que é a hora. Essa que é a hora. Toque de reconhecer tá dado”, ordena.



A gravação enviada por ‘Sadrak’ era parte do plano montado pela facção criminosa de dentro de Pedrinhas, e com o pleno conhecimento das Inteligências da Sejap e da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) do Maranhão, pelo menos três dias antes do início dos ataques.

Ontem 21, o Atual7 revelou, com exclusividade, que os criminosos havia enviado uma carta aos outros integrantes da facção detalhando como seria executado os incêndios e outras ações, dentre elas a de dar ‘toque de recolher’ em shoppings e lojas, como já iniciado no bairro do Coroadinho. Essa carta vem sendo compartilhada desde o início da semana em grupos de WhatsApp, e chegou inclusive ao conhecimento da Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (SIDHPOP), por conter trechos em que os presos afirmam estar sofrendo ‘opressão’ no sistema penitenciário por parte dos agentes de segurança.

“Papo reto”





Não é a primeira que ‘Sadrak’ utiliza aparelho celular para enviar gravações para fora do Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Em junho de 2014, quando o comando do Estado ainda estava sob responsabilidade da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), ele viralizou num vídeo em que aparece dentro da penitenciária mandando um “papo reto” para Roseana. O “recado” - até comemorado na época por pessoas que estavam na oposição e hoje estão no governo -, foi dado em forma de rap.

Passados dois anos do vídeo de ‘Sadrak’ para Roseana, com a descoberta de que ele ainda usa celular livremente dentro das celas de Pedrinhas, e agora até comanda e dá orientações sobre ataques a ônibus, o governo Flávio Dino precisa, além de montar força tarefa nas ruas da grande São Luís para conter a ação dos criminosos, apurar quem permitiu a permanência do aparelho dentro de Pedrinhas.

Afinal, a ordem e coordenação dos ataques partem de dentro do presídio.

Nenhum comentário