BOMBA! BOMBA! Policia Civil e GAECO, miram SINFRA comandada por Clayton e Noleto e empresas comandadas por AGIOTAS.

Share:
clayton noleto nova 4

Segundo um dos Blogs mais lido do Maranhão, o Atual7, a Policia Civil e o GAECO – Grupo de Combate ao Crime Organizado, devem deflagrar uma operação para combater um suposto esquema entre a SINFRA – Secretaria Estadual de Infraestrutura, comandada por Clayton Noleto e a empreiteira de fachada Pactor Construções e Empreendimentos Ltda, comandada pelo agiota Gláucio Alencar e Eduardo José Barros Costa. Veja postagem completa:

A Polícia Civil do Maranhão e o Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) devem deflagrar uma operação específica para combater um suposto esquema operado entre a Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra) e um dos braços da organização criminosa que atuava no desvio de verba pública e agiotagem no município de Dom Pedro. Comandada pelo ex-pré-candidato a prefeito de Imperatriz, Clayton Noleto (PCdoB), a Sinfra aditivou e formalizou novos contratos com a empresa Pactor Construções e Empreendimentos Ltda, uma das empreiteiras de fachada utilizadas pelo agiota Gláucio Alencar e pelo filho da ex-prefeita de Dom Pedro, Eduardo José Barros Costa, o Eduardo DP ou Imperador, no esquema de fraude a licitações de obras públicas.

A informação foi confirmada ao Atual7 nesta quinta-feira 19, pelo secretário de Segurança Pública, delegado Jefferson Portela, e pelo titular do Gaeco, promotor Marco Aurélio, durante coletiva de imprensa sobre a segunda etapa da ‘Operação Imperador’.

“Afirmo que qualquer crime, relacionado a pessoa física, relacionado a lavagem em relação a empresa de fachada, seja contra quem for, você pode anotar, publicar isso, e cobrar de nós amanhã (...) haverá investigação criminal”, garantiu Portela.

O secretário de Segurança afirmou que os trabalhos de investigação em relação às movimentações da Pactor e outros envolvidos em agiotagem e desvio de dinheiro estão avançados, em conjunto com as investigações das 42 prefeituras que operavam no esquema, e que, no momento certo, a sociedade vai ser informada. “Pode ter certeza disso! Qualquer empresa, qualquer pessoa”, reiterou.

Gaeco já em campo


A declaração de Portela reafirmada pelo titular do Gaeco. O promotor, contudo, revelou que o Ministério Público do Maranhão já abriu uma linha de trabalho com as receitas federal e estadual, além da Controladoria Geral da União (CGU).

Segundo Marco Aurélio, houve um pedido às receitas e à CGU para que sejam bloqueados todos os contratos feitos entre a Pactor e outras empresas de fachada com o poder público. O titular da Gaeco disse ainda que as empresas de fachada que atuavam em Dom Pedro continuam sendo operadas pelos criminosos em outros municípios do Maranhão.

“Um empresa dessa atuava e atua em vários municípios. E para coibir esse tipo de coisa, nessas empresas de fachada utilizadas e operadas por esses criminosos, nós estamos fazendo agora um trabalho com a própria receita estadual, receita federal e Controladoria Geral da União, pra identificar e, já de imediato, conseguir o bloqueio, para paralisar que essas empresas continuem sendo operadas”, afirmou o promotor.

O secretário Clayton Noleto foi procurado pelo Atual7 para explicar a contratação da empreiteira operada por Gláucio Alencar e Eduardo DP, mas, embora tenha tomado conhecimento dos questionamentos feitos, até a publicação desta matéria não retornou o contato.

Confira abaixo as declarações do secretário Jefferson Portela e do promotor Marco Aurélio sobre as ações contra a a Pactor Construções e quem ainda mantém contrato com a empreiteira.



Nenhum comentário